Saneamento básico na Água Branca é debatido em reunião

O projeto para ligar um poço artesiano já instalado às casas da Aldeia Água Branca, na Terra Indígena Apucaraninha, foi tema de reunião no gabinete da prefeitura na tarde da última sexta-feira (18). Diferentes lideranças da comunidade kaingang local e o coordenador distrital de Saúde Indígena do Litoral Sul do Ministério da Saúde, Valter Viana, foram recebidos pelo prefeito Beto Siena e pela secretária de Saúde, Dalva Siena, e o secretário de Obras, Antonio Manoel Gonçalves.

005

Segundo o prefeito, começou a ser traçada uma parceria que reúna tanto a administração municipal quanto a pasta federal e a Sanepar para que a obra seja realizada. “É um pedido da comunidade que temos trabalhado para viabilizar. O poço já está lá, só faltam as ligações. Estudamos parcerias para poder executar a obra”, afirmou Beto Siena.

004

Engenheiros vinculados ao Ministério da Saúde são esperados nesta semana para uma avaliação in loco da situação na Água Branca. Além disso, o coordenador já adiantou que irá voltar para Tamarana com o intuito de ver de perto as demandas em saúde do povo kaingang. “A gente tem que olhar com carinho [para a Terra Indígena Apucaraninha]. Vou voltar para cá na primeira semana de setembro para ver toda a estrutura que envolve a comunidade para que a gente possa buscar melhores condições para ela. O Ministério da Saúde está de portas abertas. Nossa função é cuidar da saúde indígena”, salientou Valter Viana.

Apadrinhamento de crianças da Casa Lar é apresentado à comunidade

A Casa Lar de Tamarana promoveu na noite da última quinta-feira (17), no salão do Centro de Educação Infantil Vinde a Mim, uma reunião pública em que foi apresentado o projeto de apadrinhamento das crianças e adolescentes da unidade. A iniciativa é vinculada ao Abrace um Futuro, desenvolvido pelo Núcleo de Apoio Especializado à Criança e ao Adolescente de Londrina (NAE) e pela 1ª Vara da Infância e Juventude de Londrina.

O apadrinhamento é dividido em três modalidades: afetiva, material ou voluntária. Seja qual for a opção do padrinho ou madrinha, o intuito sempre é proporcionar experiências de dignidade e pertencimento a uma comunidade e também de convivência familiar para meninos e meninos confrontados por situações de risco pessoal ou social.

001

Embora o friozinho e a chuva fina tenham afetado a adesão da população ao encontro, a coordenadora da Casa Lar, Daniela Barbino Basbasque, apontou que esse foi o pontapé inicial de uma mobilização que pretende alcançar toda a sociedade. “Com essa chuvinha, não veio tanta gente, mas queremos que aqueles que compareceram levem a mensagem para outras pessoas”, pediu ela. A intenção, conforme a coordenadora, é prosseguir com o processo de aproximação entre a unidade e os tamaranenses ao longo dos próximos meses.

016

Para saber mais detalhes sobre o apadrinhamento, ligue para a Casa Lar (43 – 3398-1963) ou escreva para abrigotamarana@yahoo.com.br

Universidades da região já recebem inscrições para vestibulares

Duas das maiores universidades da região norte do Paraná estão com inscrições abertas para seus vestibulares. Na Universidade Estadual de Londrina, os candidatos ao processo seletivo 2018 podem se inscrever até 11 de setembro por meio da página da Coordenadoria de Processos Seletivos. A UEL oferta 2.482 vagas em 53 cursos de graduação – outras 598 são oferecidas por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

UEL

Os candidatos ao curso de Música farão a prova de habilidades específicas em 24 de setembro. Já a primeira fase ocorre para todos em 29 de outubro. A segunda fase se dividirá em três dias: 3, 4 e 5 de dezembro, sendo que a última data é reservada aos vestibulandos de Arquitetura e Urbanismo, Artes Visuais, Design de Moda e Design Gráfico, que realizam provas de habilidades específicas.

Anote na sua agenda: a lista dos aprovados na UEL sai no dia 24 de janeiro de 2018, às 12h.

Bolsas com desconto – A Unopar, por sua vez, oferece 45 bolsas com 60% de desconto para candidatos aprovados no vestibular marcado para este domingo (27), às 14h. A isenção se aplica a cursos ofertados na Unidade Catuaí . Para concorrer a uma bolsa é preciso se inscrever no processo seletivo até 26 de agosto. A inscrição é de graça e pode ser feita através deste endereço. O telefone para mais informações é o 3371-7805.

Copa Gunga continua neste fim de semana

A bola irá voltar a rolar a partir desta sexta-feira (18), às 19h, quando começa a segunda rodada da 1ª Copa Gunga de Futsal de Tamarana. O jogo que abrirá os confrontos deste fim de semana será entre as meninas do Kaingang e as garotas do Pink Fut (confira a tabela completa logo abaixo).

Há outros três duelos nesta sexta – todos masculinos. Neste sábado (19), a competição continua com outros quatro embates.

Responsável pela organização do evento, a Diretoria de Esportes de Tamarana espera que as arquibancadas da quadra do Centro Social fiquem tão lotadas quanto na rodada anterior e que a rivalidade entre as equipes não extrapole o limite das quatro linhas. Afinal, nossa cidade merece competições como essa, não é?

003

TABELA COPA GUNGA DE FUTSAL – ATÉ PRIMEIRA RODADA

Pontes da zona rural serão ampliadas

Durante visita a Tamarana nesta quinta-feira (17), o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Pepe Richa, vistoriou as pontes dos rios Apucaraninha e Claro, na zona rural do município. Acompanhado do prefeito da cidade, Beto Siena, o titular da Seil reconheceu que as estruturas estão aquém das necessidades da população e assegurou que a pasta já reservou vigas que serão utilizadas no alargamento das pontes. “São pontos perigosos. Estamos só aguardando alguns ajustes no projeto por parte da prefeitura para que possamos dar andamento. É só um trâmite burocrático. Eu acredito que a gente resolva facilmente”, afirmou Pepe.

002

A Prefeitura de Tamarana será responsável pelas demais partes da obra. A administração municipal se planeja para lançar uma licitação para contratar uma empresa especializada para executar a ampliação. O prefeito Beto Siena revelou otimismo com o fato de o projeto ter começado a sair do papel. “É um sonho antigo da comunidade e, além disso, é um trabalho que tem que ser realizado. O fato de o secretário ter vindo olhar as pontes é mais uma demonstração de que as coisas vão acontecer”, declarou.

001

O secretário também esteve no trevo da PR-445 que dá acesso à Tamarana. O local é tido como crítico, pois tanto o motorista que entra quanto o que sai do município precisa passar por pistas estreitas. “Fiquei bastante impressionado com o trevo. Vamos voltar aqui e, como dever de casa, fazer um estudo e ver como podemos interceder para, de imediato e independente do projeto de duplicação da PR-445, buscar uma solução para esse problema”, garantiu Pepe Richa.

005

O prefeito lembrou que a rodovia é o principal acesso dos tamaranenses aos grandes centros do estado. Beto Siena disse que confia na capacidade do Executivo estadual em resolver a demanda em curto prazo. “A 445 é o nosso caminho para Londrina e Curitiba. Há condições de acontecer mudanças para melhor ali e tenho certeza que o governo vai olhar com carinho para o trevo”.

003

Ainda participaram da visita a Tamarana o coordenador da Região Metropolitana de Londrina, Marco Antonio Santi, e o superintendente do Departamento de Estradas de Rodagem no norte do Paraná, Sergio Selvatici. O vice-prefeito do município, Sérgio Nakata, e o secretário de Obras da cidade, Antonio Manoel Gonçalves, também acompanharam a comitiva do governo estadual. Por parte da Câmara Municipal de Tamarana, estiveram presentes o presidente da Casa, Tega Fabiano, e os vereadores Hector Siena, Paulo Cesar da Cruz e Silvano de Oliveira.

004

Apadrinhamento de crianças da Casa Lar é tema de reunião

A Casa Lar de Tamarana promove nesta quinta-feira (17), às 19h, no salão do Centro de Educação Infantil Vinde a Mim (Rua Albino Lovo, 67, Centro), uma reunião pública em que o projeto de apadrinhamento das crianças e adolescentes da unidade será explicado em detalhes para a população.

A iniciativa em Tamarana faz parte do Projeto Abrace um Futuro, desenvolvido pelo Núcleo de Apoio Especializado à Criança e ao Adolescente de Londrina (NAE) e pela 1ª Vara da Infância e Juventude de Londrina. O apadrinhamento pode ser afetivo, material ou voluntário. Seja qual for a modalidade escolhida, o intuito do Abrace um Futuro é proporcionar experiências de dignidade e pertencimento a uma comunidade e também de convivência familiar para meninos e meninos confrontados por situações de risco pessoal ou social.

ABRACE UM FUTURO

“É um trabalho que vem para somar A pessoa pode escolher a melhor forma. Hoje estamos com dois padrinhos: um afetivo e um material”, contou a coordenadora da Casa Lar de Tamarana, Daniela Barbino Basbasque. Atualmente, são 11 crianças e adolescentes atendidos pela equipe multiprofissional da unidade, que é vinculada à Secretaria de Assistência Social do município.

Para a coordenadora, a reunião desta quinta-feira será a oportunidade ideal para os cidadãos de Tamarana e região entrarem em contato com o apadrinhamento e as possibilidades que ele oferece. “Muitas pessoas vêm nos visitar e não conhecem esse projeto. Elas até querem ajudar, mas não sabem como. Essa reunião é para a comunidade ver de que forma pode apoiar a Casa Lar”, afirmou Daniela.

Ainda segundo a coordenadora, os padrinhos e madrinhas são recebidos com entusiasmo pelos pequenos, que, através desse contato, conseguem acumular uma série de experiências positivas, por vezes não transmitidas por suas famílias. “Elas aceitam muito bem, porque é mais uma forma de as crianças receberem afeto, participarem da vida em família”, explicou.

Estrada rural é interditada para readequação

O trecho de pouco mais de três quilômetros da estrada que vai da entrada da antiga fábrica Pasa até o acesso à Fazenda Tamar, na zona rural de Tamarana, precisou ser interditado a partir desta segunda-feira (14) devido ao trabalho de readequação que é executado na via pelo Consórcio Caminhos do Tibagi.

006

A medida foi tomada para que a intervenção seja realizada de maneira mais célere e eficaz, já que, conforme o Instituto Simepar, pode chover com frequência na região nesta semana. Ainda não há prazo para o local ser liberado para o tráfego.

A Secretaria de Agricultura de Tamarana pede a compreensão dos usuários da estrada, mas, ao mesmo tempo, a pasta frisa que a readequação é uma iniciativa que trará melhorias duradouras para a comunidade rural. A depender das demandas identificadas pelos profissionais que executam o serviço, outros trechos poderão ser fechados nas próximas semanas.

Rotas alternativas – O motorista que sai de Tamarana para a zona rural, sentido Assentamento Água da Prata (Incrão), pode optar pela estrada que passa pelo Bairro dos Moreiras e, dali, seguir em direção ao Assentamento Tesouro – ou, a depender do destino, continuar pela via dos Moreiras. Quem vem da zona rural (Água da Prata, Terra Indígena Apucaraninha, entre outras localidades) para Tamarana também tem a opção transitar por essa mesma rota.

Conselho municipal conclui formação de diretoria

001

Em reunião realizada nesta quinta-feira (10), o Conselho de Desenvolvimento Municipal de Tamarana finalizou o processo de composição de sua diretoria para o biênio 2017-2019. Deste modo, o colegiado ficou organizado da seguinte forma:

  • Presidente: Fábia Siena;
  • Vice-presidente: Antonio Manoel Gonçalves;
  • Secretária executiva: Angela Maria da Silva;
  • Diretoria executiva: Wagner Barros (representante da Diretoria de Desenvolvimento), Angela Maria da Silva (representante da Secretaria de Administração), Bruna Silva Miranda (representante da Secretaria de Fazenda), Leandro Feronato (representante da sociedade civil – Conselho Municipal de Saúde) e um representante do Sindicato dos Servidores Municipais de Tamarana a ser indicado por aquela entidade.

003

Além desses integrantes, o conselho, conforme disposto na lei municipal 1.152/2016, também é formado por diferentes segmentos da sociedade local – entre eles, a Associação Comercial e Industrial de Tamarana, o Rotary Club e todas as associações de moradores da cidade.

O principal tema a ser tratado nos próximos encontros do grupo é o começo da revisão do Plano Diretor do município. Com exceção da presidente, que só pode se manifestar em caso de empate, todos os conselheiros têm direito a voto nos debates.

Tamaranense apresenta na Argentina pesquisa sobre emancipação do município

Como um dos mais importantes capítulos da história de Tamarana é ensinado para as crianças das escolas municipais? Essa foi a pergunta que motivou o professor Rafael Nascimento da Silva – que, inclusive, leciona na rede de ensino do município – a dar início a um amplo trabalho de pesquisa que resultou em uma dissertação de mestrado defendida em agosto do último ano (você pode lê-la na íntegra no fim do texto). Porém, a iniciativa não parou por aí. Tanto é que a pesquisa foi apresentada em Mar del Plata, na Argentina, nesta quarta-feira (9), na XVI Jornadas Interescuelas.

002

Rafael em sua apresentação na Argentina

Conversamos com o Rafael antes de ele embarcar na viagem de mais de 2.200 quilômetros para a terra dos hermanos. O professor nos contou que estuda a história de Tamarana desde os tempos do curso de Pedagogia, quando seu TCC abordou a maneira como os professores do então 4º ano tratavam o assunto em sala de aula.

A conclusão da graduação não significou o fim do interesse por esse debate. Pelo contrário, foi aí que a ideia tomou maiores proporções e resultou na dissertação que agora é conhecida internacionalmente. “Eu sempre ficava ‘incomodado’ sobre como era ensinada a história do município”, revelou ele.

E a busca por fontes sobre a emancipação de Tamarana foi árdua. Tanto é que o pesquisador teve de construir sua narrativa com base em reportagens de jornais (Folha de Londrina, Jornal de Londrina e O Estado do Paraná) e entrevistas com personagens que tiveram papel ativo naquele momento. “Não existia nenhum relato sobre a emancipação em livros”, explicou.

002

Pesquisador buscou jornais da época e fez entrevistas para construir narrativa sobre o fato

Ao mergulhar nessa busca, Rafael Nascimento da Silva também conseguiu constatar que Tamarana já teve seus dias de “Fla-Flu político”, quando – assim como acontece hoje em nível nacional – brigas intensas surgiram e até amizades foram desfeitas por causa de opiniões políticas distintas. “Tanto os jornais da época quanto os entrevistados afirmaram que as pessoas acabaram brigando [por causa da emancipação]”.

Antes de ser apresentada em Mar del Plata, a dissertação já havia passado pelo crivo de um evento internacional sediado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em 2014 – na época, ela se encontrava em fase de elaboração.  E, de acordo com o pesquisador, a iniciativa não irá parar, já que ele começou a produzir uma pequena apostila atualizada a respeito da história de Tamarana e também tem tratado do tema com seus alunos de 3º ano. “Esse fato [a emancipação] é muito importante para a criança aprender sobre a história local”, avaliou.

001

Para o professor, a história local também deve dar vez a outras vozes que a construíram

Para Rafael, a narrativa da história de Tamarana pode ser mais ampla e dar espaço para diferentes atores. Assim, conforme ele, haverá até mais interesse da população pelo tema. “Dar vez a outras vozes da história do município é algo bem importante a se estudar. Quanto mais você falar sobre a história local, mais fatos as pessoas terão em mente”. Por fim, perguntado se a emancipação foi positiva para o município, o tamaranense não deixa de dar sua opinião: “Eu acho que a cidade só tem melhorado”.

ENTRE O SIM E O NÃO – HISTÓRIA DA EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DE TAMARANA E SEU ENSINO NA ESCOLA

Copa Gunga de Futsal começa nesta sexta com 17 times

Tudo pronto para a bola rolar nesta sexta-feira (11), no pontapé inicial da 1ª Copa Gunga de Futsal de Tamarana. O torneio é realizado pela Prefeitura de Tamarana, por meio da Diretoria Municipal de Esportes. A competição tem início às 19h, com a disputa feminina (confira os detalhes na tabela disponível no fim do texto). Todos os jogos irão acontecer na quadra do Centro Social Urbano.

FUTSAL 001

O arbitral com as 17 equipes inscritas foi realizado na noite da última terça-feira (8). O diretor de Esportes do município, Juninho Bittencourt, contou que os competidores e organizadores estão empolgados com o início da copa. “A aceitação foi bem legal, todo mundo aderiu bem à ideia. É mais uma opção para quem gosta de futsal, tanto masculino quanto feminino. Conto com a presença de toda a comunidade”, convidou ele.

Possíveis atos de indisciplina serão tratados com bastante rigor. O atleta que for punido com cartão amarelo terá de arcar com uma “multa” de dois quilos de alimentos não perecíveis. Já quem for penalizado com cartão vermelho deverá dar cinco quilos. Todos os itens serão repassados para a Casa Lar de Tamarana.

Além disso, jogadoras e jogadores envolvidos em casos de agressão serão suspensos de torneios realizados pelo município pelo período de um ano. “A gente tem que tentar coibir a violência. Deixamos bem claro para as equipes que a arbitragem vai ser dura em relação a isso”, afirmou o diretor de Esportes.

Vale lembrar que, no ato da inscrição, cada atleta doou um quilo de alimento não perecível. Esses produtos já foram repassados para a Casa Lar.

08-2017 - ENTREGA ALIMENTOS DOADOS COPA GUNGA

Genésio Navarro e Juninho Bittencourt, da Diretoria de Esportes, com os alimentos doados para a Casa Lar

Forma de disputa – As equipes masculinas foram divididas em três grupos de quatro times. Quem ficar em 1º e 2º lugar tem vaga garantida na segunda fase, que será completada com os dois melhores terceiros lugares dos grupos.

Como a competição feminina conta com cinco equipes, elas foram organizadas em um grupo único. Os quatro melhores times irão para a fase semifinal.

As finais masculina e feminina estão marcadas para o dia 16 de setembro, a partir das 19h50.

2017 – TABELA INICIAL DA COPA GUNGA DE FUTSAL DE TAMARANA