Agricultores do Mandassaia e região debatem readequação de estradas

A readequação de estradas mestras da zona rural de Tamarana voltou a ser tema de reunião nesta quinta-feira (22). Dezenas de proprietários de áreas rurais localizadas às margens de três vias que receberão a empreitada (Igrejinha do Rio Preto – Placa da Vaca; Assentamento Cruz de Malta – Assentamento Mundo Novo – Placa da Vaca e “Sítio do Mahmud” – Assentamento Mandassaia – Placa da Vaca) participaram de um encontro com representantes do poder público municipal e estadual. Na ocasião, a obra foi explicada em detalhes e os produtores rurais também puderam tirar suas dúvidas a respeito do projeto.

REUNIÃO MANDASSAIA 001

Para que a readequação esteja dentro da legislação, os proprietários devem assinar um termo de adesão que prevê o uso da faixa de domínio das vias em determinadas situações, já que a utilização desse espaço é prerrogativa do poder público. A promotora de Defesa do Meio Ambiente, Solange Vicentin, alertou os produtores sobre a responsabilidade deles na conservação do solo e, consequentemente, das estradas “Estou à disposição para qualquer tipo de auxílio, mas, se for necessário, a parte que descumprir a lei vai se dar mal nessa história”, afirmou ela.

REUNIÃO MANDASSAIA 002

Segundo o engenheiro agrônomo responsável pelo projeto de readequação, Edson Ângelo Mariotto, da Secretaria da Agricultura do Paraná, a iniciativa irá consumir em larga escala recursos como óleo diesel. Ele estimou que a Prefeitura de Tamarana tenha de adquirir até 200 mil litros do produto. Além disso, o município irá arcar com demandas como a hospedagem e a alimentação dos profissionais terceirizados que farão o trabalho.

O prefeito de Tamarana, Beto Siena, avaliou que o campo é o grande motor da economia local e também frisou que a ajuda dos agricultores é fundamental para que a iniciativa seja bem sucedida. “Hoje, a nossa grande indústria é a zona rural. A gente pede a colaboração e o apoio dos produtores, porque temos que fazer tudo dentro das regras”, disse Beto.

REUNIÃO MANDASSAIA 003

A outra estrada a ser readequada é a que liga a antiga fábrica Pasa até o Assentamento Água da Prata. Todo o serviço será executado por máquinas e caminhões comprados pelo Governo do Paraná e repassados ao Consórcio Caminhos do Tibagi, entidade intermunicipal da qual Tamarana faz parte. Ao todo, serão 60 quilômetros de melhorias. Atualmente, restam somente os últimos trâmites junto ao Banco Mundial, que é o principal financiador do projeto, para que a readequação comece de fato.

Apesar do frio, Prefeitura de Tamarana reforça combate à dengue

Embora o inverno já tenha começado, a Prefeitura de Tamarana segue vigilante para continuar a reduzir a incidência do Aedes aegypti no município. Representantes de quatro secretarias (Saúde, Educação, Meio Ambiente e Obras) se reuniram nesta terça-feira (20) para, entre outros temas relativos ao combate de endemias, também delinear as ações que serão executadas em conjunto pela administração municipal para reforçar o combate ao mosquito transmissor da dengue, febre amarela, zika e chikungunya.

MOSQUITO DA DENGUE

(Foto: Reprodução)

O índice de infestação de larvas do Aedes em Tamarana, que era de 8,3% em janeiro, caiu mais da metade: no último levantamento, no fim de abril, o número já estava em 3%. Esse dado, porém, significa que a cidade ainda se encontra em médio risco de infestação. Desde o começo do ano, o município teve 39 casos suspeitos de dengue, mas nenhum deles foi confirmado.

Ao mesmo tempo, já há novas medidas que a prefeitura estuda tomar para ampliar o trabalho de eliminação dos focos. Uma delas é um mutirão de limpeza em todos os bairros de Tamarana. O coordenador municipal de Combate a Endemias, Guilherme Garcia, lembrou que a comunidade precisa seguir engajada nessa causa. “Estamos em uma época mais fria e não há tantos problemas com mosquitos, mas as pessoas precisam continuar limpando suas casas para não deixar água acumulada. O ovo do Aedes continua lá. É só vir um pouco de calor que o ovo vai eclodir”.

Os agentes de endemias, ressaltou Garcia, trabalham intensamente durante todo o ano. No entanto, para que a atuação dos profissionais tenha melhores resultados, os moradores devem fazer sua parte. “Os agentes de endemias continuam com o ciclo de visitas nos imóveis. Pedimos o apoio da população para que recebam bem os agentes e sigam suas orientações”, afirmou ele.

De acordo com o coordenador, a ajuda de cada um é fundamental para que todos se livrem do problema. “Não é porque o tempo está frio agora que a gente tem que relaxar. Devem ser tomados os mesmos cuidados que a gente pede para se tomar no verão. Se cada um cuidar da sua residência, o município todo sai ganhando”. O setor de Endemias ainda fará dois levantamentos em 2017 para identificar o nível de incidência do mosquito em Tamarana.

Vacinação contra gripe é ampliada para públicos específicos

Por orientação da Secretaria da Saúde do Paraná, a Secretaria de Saúde de Tamarana ampliou nesta semana a oferta da vacina contra gripe para cobradores e motoristas de ônibus, pessoas em situação de rua e cuidadores de pessoas vulneráveis (tais como os trabalhadores da Casa Lar e do abrigo de idosos). A iniciativa não foi expandida para toda a população porque o município ainda não alcançou a taxa de 90% de imunização do público-alvo.

Vacinação. Foto: Venilton Küchler(Foto: Agência de Notícias do Governo do Paraná)

O segmento dos idosos (60 anos ou mais) é o que mais preocupa a Saúde local, pois o índice de cobertura vacinal desses usuários se encontra abaixo do esperado. Além deles, devem tomar a vacina crianças (de seis meses a menos de cinco anos), gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto), indígenas (de seis meses de idade em diante), profissionais da área de saúde, professores atuantes em sala de aula e portadores de doenças crônicas não transmissíveis.

A Secretaria municipal de Saúde ressalta que a imunização é de suma importância e lembra que são falsas as informações veiculadas principalmente por meio de redes sociais sobre supostos danos causados pela vacina

Em Tamarana, as doses continuam disponíveis nas duas unidades básicas de saúde da área urbana (Plínio Pereira de Araújo, no Centro, e Padre Carmel Bezzina, no Jardim Juny) e também nos postos da área rural, onde a vacinação ocorre em dias específicos da semana:

  • Assentamento Mandassaia: toda segunda-feira, das 9h às 12h;
  • Assentamento Água da Prata (“Incra”): toda terça-feira, das 9h às 15h;
  • Bairro dos Moreiras: toda quarta-feira, das 9h às 12h;
  • Bairro Serraria: toda quinta-feira, das 8h30 às 14h.

Para se vacinar, basta levar o cartão do SUS e a carteira de vacinação.

Governador vem a Tamarana e entrega máquinas para estradas rurais

Esta sexta-feira (9) foi marcante para a população de Tamarana. Em solenidade que teve a presença do governador Beto Richa, o município recebeu do estado um conjunto de 10 máquinas e caminhões para a readequação de quatro estradas mestras da área rural (Pasa-Água da Prata, Igrejinha do Rio Preto-Placa da Vaca, Cruz de Malta-Mundo Novo-Placa da Vaca e “Sítio do Mahmud”-Mandassaia-Placa da Vaca). Ao todo, serão 60 quilômetros de vias reformadas.

004

O conjunto de equipamentos é formado por uma motoniveladora, uma retroescavadeira, uma escavadeira hidráulica, um rolo compactador, um trator de esteira e cinco caminhões. O investimento é de cerca de R$ 2,7 milhões. O maquinário será administrado pelo Consórcio Caminhos do Tibagi – entidade intermunicipal da qual Tamarana faz parte.

De acordo com o prefeito de Tamarana, Beto Siena, a iniciativa irá beneficiar centenas de famílias, já que mais da metade dos tamaranenses vivem no campo. “As máquinas são de suma importância. Em Tamarana, 52% da população mora na zona rural e temos em torno de 700 quilômetros de estradas rurais, com uma topografia que não ajuda tanto”, informou Beto, que também é vice-presidente do Caminhos do Tibagi.

003

O prefeito de Tamarana frisou que a parceria com o Governo do Paraná é fundamental para dar uma nova cara para as estradas rurais do município. “Ainda estamos com dificuldades no maquinário e a patrulha vem para ajudar a sanar esse problema. O governador tem tratado Tamarana com um carinho muito legal”.

Em sua segunda visita a Tamarana em pouco mais de dois meses, Beto Richa elogiou a boa relação que tem mantido com a administração local e ainda destacou a qualidade das máquinas repassadas para o consórcio. “Esse é um grande programa que contribui para a melhoria das estradas, porque os produtores rurais precisam de vias em melhores condições. É um maquinário para um trabalho de qualidade”, afirmou o governador.

002

O vice-prefeito de Reserva e presidente do consórcio, Ricardo Hornung, apontou a união entre os municípios como um dos principais fatores para a realização do projeto. “Nós fizemos um trabalho em conjunto que hoje dá resultados para o nosso consórcio. É um maquinário que vem dar suporte às pequenas prefeituras nas estradas rurais”. As próximas cidades a serem atendidas pela patrulha são Ortigueira, Tibagi e Reserva.

005

O projeto de readequação dessas estradas de Tamarana será finalizado até a próxima semana. Assim, restará apenas o aval do Banco Mundial – que é o principal responsável por financiar a iniciativa – para que o trabalho comece. O município, por sua vez, calcula que aplicará R$ 130 mil por mês na patrulha rural, já que irá arcar com itens como o combustível dos veículos e a alimentação e hospedagem dos profissionais que executarão o serviço.

001

O vice-prefeito Sérgio Nakata e o prefeito Beto Siena: Tamarana calcula investir R$ 130 mil por mês na readequação das estradas. 

Viatura para PM – Ao discursar no evento, o governador reconheceu que Tamarana tem passado por problemas na área de segurança pública e prometeu que, até o fim de junho, uma viatura nova será entregue para o destacamento local da Polícia Militar.

Pontes reformadas – Também presente na agenda, o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Pepe Richa, comunicou ao prefeito de Tamarana que a pasta já reservou estruturas que serão utilizadas para reformar e tornar mais largas as pontes sobre os rios Apucaraninha e Claro. As obras serão feitas em parceria com a prefeitura e, conforme a administração local, têm início previsto para até 2018.

006

O secretário de Infraestrutura e Logística do PR, Pepe Richa (segundo da esquerda para direita) assegurou que o estado já reservou estruturas para pontes de Tamarana.

Autoridades presentes – Também participaram da solenidade desta sexta o deputado federal Nelson Padovani; os deputados estaduais Cobra Repórter e Tiago Amaral; o prefeito de Prado Ferreira e presidente do Cismepar, Silvio Damasceno; o presidente do Iapar, Florindo Dalberto; o vice-prefeito Sérgio Nakata e todos os secretários do município; o presidente da Câmara Municipal de Tamarana, Tega Fabiano, acompanhado de demais vereadores do Legislativo local; o presidente do Sindicato Rural Patronal de Londrina, Narciso Pissinati, e outras autoridades e representantes de órgãos públicos regionais.

Capoeira de Tamarana busca mais apoio para tirar crianças das ruas

Segunda e quarta-feira é sagrado: tem capoeira na quadra do Centro Social Urbano de Tamarana. As aulas começam sempre às 20h e duram uma hora e meia. O espaço do CSU é cedido pela prefeitura para a dupla responsável pelo projeto: o professor Jeferson Socorro da Silva, o popular “Cadeirudo”, e o Aristeu Aires de Oliveira, mais conhecido como “Madruga”.

002

Cadeirudo e Madruga: à frente da capoeira em Tamarana.

Eles estão há mais de três meses com as aulas no local e contam que o projeto é focado em crianças que passam por situação de vulnerabilidade social e econômica. “Muitos alunos poderiam estar aí pelas ruas, mas, estando aqui, eles já começam a ter uma responsabilidade. E a gente sempre está conversando a respeito dos perigos das drogas com eles”, afirmou Cadeirudo. Quem tem menos de 15 anos pode praticar capoeira de graça. Dessa idade em diante, é pedida uma ajuda de custo mensal de R$ 30.

009

Em cada aula, são, em média, 15 alunos. A maioria crianças, mas também há espaço para interessados de outras idades  –  e, claro, para as mulheres. “A capoeira não é só para crianças. Algumas mães já estão vindo, tem uns pais que vêm, fazem um treininho básico”, contou o professor Cadeirudo. Além de entrarem em contato com essa expressão cultural tipicamente brasileira, os pequenos também aprendem a ser mais responsáveis. “Começou a ir mal na escola, começou a querer usar a arte da capoeira para brigar com os colegas, a gente já corta umas aulas”, ressaltou Cadeirudo.

011

Em Tamarana, a capoeira existe ao menos desde 1999. No entanto, ela precisou ser interrompida em determinados períodos principalmente por causa da falta de local para a prática. Os amigos que tocam o projeto dizem que são gratos à prefeitura por ter cedido a quadra para as aulas. Ao mesmo tempo, eles acreditam que há muito potencial para a capoeira aqui na cidade e, por isso, estão em busca de parcerias tanto no setor público quanto no privado. “Sozinho a gente não consegue. É complicado. O nosso interesse é ver o desenvolvimento das crianças, e não ganhar dinheiro. Para a gente, isso é muito gratificante”, concluiu Madruga.

003

Ficou interessado no projeto? O Madruga pode te dar mais informações. O celular dele é o 9 9992-8183.

Agricultores da região dos Moreiras definem melhorias para microbacia

Produtores rurais do Bairro dos Moreiras e de comunidades vizinhas se reuniram com profissionais da Emater e representantes da prefeitura e da câmara municipal de Tamarana durante a tarde desta quinta-feira (25) para definir quais melhorias serão executadas na região graças ao Programa de Gestão de Solos e Água em Microbacias. A área, denominada “Moreiras 1”, abrange o fundo de vale do Rio Claro, desde a Fazenda da Unopar até a Ponte Nova. O programa conta com recursos de R$ 210 mil destinados pelo Governo do Paraná para o município.

REUNIÃO MOREIRAS 001

Os agricultores debateram e listaram as principais demandas da região. A preservação das águas foi uma das prioridades identificadas por eles. “A população tem várias necessidades, mas eu acredito que a questão das fossas, das minas e também a entrega de calcário para os produtores seriam as prioridades. Será muito bom que esse programa realmente venha. Acredito que é muito bom para a comunidade”, elogiou a produtora rural e líder local, Bete Prado.

O secretário-executivo do Grupo Gestor de Microbacias em Tamarana e engenheiro agrônomo da Emater no município, Marcelo Campos, ressaltou a importância da participação da comunidade no processo de tomada de decisões. “A gente tem uma ideia de quais são os principais problemas dos agricultores, mas o importante é que o levantamento seja participativo, para que as necessidades realmente sejam atendidas”.

REUNIÃO MOREIRAS 003

De acordo com Campos, além de oportunizar ações como proteção de minas, nascentes e matas ciliares, terraceamento de solo e readequação de carreadores, o Programa de Microbacias também é um canal para a população rural buscar melhorias em outros setores. “Se não estiver no programa uma outra ação que o agricultor elenque como interessante, nós podemos brigar por isso”, afirmou o profissional da Emater.

Agora, com base nas opiniões dos agricultores e em levantamentos da Emater e de órgãos do município, será redigido o plano de ação da área. Ao mesmo tempo, outro recurso, de R$ 240 mil, também oriundo do governo estadual, será utilizado na implantação de um poço artesiano na região. “É um poço artesiano profundo, com ramificações de água”, contou o secretário de Agricultura de Tamarana, Fernando Macedo. “Esse poço artesiano será uma coisa muito boa para as pessoas”, vislumbrou Bete Prado.

Ainda conforme Fernando Macedo, outra microbacia receberá melhorias neste ano. “A intenção é fazer pelo menos duas esse ano. A primeira do lado direito e a segunda do lado esquerdo da estrada dos Moreiras”, explicou o secretário. Além disso, segundo Marcelo Campos, há uma terceira microbacia em vista que está para ser definida. “A ideia é atuar em microbacias que estejam próximas das que já foram trabalhadas”, disse o secretário-executivo do Grupo Gestor de Microbacias em Tamarana.

Vacinação contra gripe em Tamarana vai até sábado

A campanha nacional de imunização já está em seus últimos dias, com encerramento marcado para esta sexta-feira (26). Em Tamarana, no entanto, a iniciativa será estendida até sábado (27), pois a Unidade Básica de Saúde Plínio Pereira de Araújo, que passou a funcionar aos sábados desde o começo do mês, também estará aberta neste dia, das 7h às 18h. Além de atender quem precisa se imunizar contra a gripe, a UBS seguirá à disposição da população para atualizar demais vacinas, realizar preventivo contra o câncer de colo de útero, entre outros serviços.

UBS PLÍNIO

Na UBS Plínio, o sábado (27) também será de vacinação contra gripe.

Até agora, Tamarana conseguiu imunizar 86% das pessoas que fazem parte do público-alvo da campanha. De acordo com o diretor de Ação em Saúde do município, Leandro Feronato, a meta de vacinação global já foi atingida, mas o índice ainda está abaixo do esperado quando se trata do grupo formado por crianças de seis meses a menos de cinco anos de idade. “Já atingimos nossa meta de vacinação. Porém, a gente pode sempre melhorar, porque ainda faltam algumas crianças a serem vacinadas no município. Estamos aquém dos 80% de crianças vacinadas e precisamos alcançar 90%. Nessa última semana, temos corrido para fazer busca ativa”, afirmou ele.

Além das crianças, precisam se vacinar professores da rede pública e particular atuantes em sala de aula, portadores de doenças crônicas não-transmissíveis, profissionais da área de saúde, indígenas (de seis meses de idade em diante), idosos com 60 anos de idade ou mais e gestantes e puérperas (até 45 dias depois do parto).

Leandro Feronato também salientou que são falsas informações sobre supostos danos à saúde causados pela vacina. “São apenas boatos, não têm veracidade nenhuma. Muitos estudos são feitos antes de uma vacina ser aprovada. É importante se vacinar, porque a H1N1 mata”, alertou o diretor.

A Unidade Básica de Saúde Plínio Pereira de Araújo fica ao lado da Rodoviária de Tamarana, na Rua Ubaldino de Sá Bittencourt, s/n, no Centro da cidade. O telefone da UBS é o 3398-1983. Até sexta-feira (26), os usuários também podem ser imunizados na Unidade Básica de Saúde Padre Carmel Bezzina, no Jardim Juny.

Educação de Tamarana adquire material de ensino renomado

Professoras e professores das escolas e da creche municipal de Tamarana tiveram nesta quinta-feira (18) um dia de formação para prepará-los para o novo material de ensino que começará a ser utilizado em sala de aula nos próximos dias.

011

Os livros são elaborados pelo Grupo Expoente, que também fornecerá toda a assistência necessária para que o trabalho seja desenvolvido. A instituição, que venceu a licitação lançada pela Prefeitura de Tamarana para suprir essa demanda na Educação local, atua em 23 estados brasileiros, com mais de 250 parceiros (entre entidades públicas e particulares). O investimento do município é de R$ 260 mil.

De acordo com a secretária de Educação de Tamarana, Maisa Nakata, todo o know-how do Expoente vem para atender uma necessidade identificada principalmente entre os alunos da educação infantil. “Como educadora há mais de 17 anos em Tamarana, eu já percebia que a gente tinha uma carência de ter um material como esse. A nossa preocupação era principalmente com a educação infantil, que não tinha nenhum material específico para ela”, explicou. Os estudantes do 1º ao 3º ano do ensino fundamental também serão atendidos pela iniciativa.

001

Segundo a secretária de Educação, Maisa Nakata, o material servirá como complemento aos livros didáticos.

Por outro lado, a secretária lembrou que o material não irá substituir os livros didáticos, e sim complementá-los. “É claro que o livro didático não vai acabar. Vai ser um material para complementar a atividade do professor. Nossas crianças vão ter mais qualidade na educação “, afirmou Maisa.

Já o prefeito de Tamarana, Beto Siena, observou que essa medida propiciará um salto na qualidade do ensino oferecido pelo município. “O filho de uma pessoa carente vai ter as mesmas condições de estudo do filho de um médico, de um empresário, porque a empresa que ganhou o edital tem grande bagagem na área. Vai qualificar, e muito, a Educação de Tamarana”, projetou Beto.

002

“Vai qualificar, e muito, a Educação de Tamarana”, afirmou Beto Siena.

A assessora pedagógica do Grupo Expoente, Vanessa Lima, esteve à frente da formação para os educadores. A novidade, segundo ela, pode causar certo receio inicial. Esse sentimento, no entanto, deve ser dissipado ao longo do tempo. “Com certeza vai haver resistência, reclamações, mas, depois, a medida em que as professoras veem o desenvolvimento dos seus alunos, elas percebem o quanto foi rica a aquisição do material”, assegurou Vanessa.

005

Vanessa Lima, do Grupo Expoente: “Iremos colher os frutos daqui a um ano, um ano e meio”.

O material de ensino também abrirá espaço para os pais acompanharem de maneira mais próxima a vida escolar dos filhos. “O material pede apoio dos pais a todo momento. Nossa proposta é sempre ter participação da família”, disse a assessora pedagógica.

Ainda conforme Vanessa Lima, os primeiros resultados da implantação do projeto serão notados em curto prazo. “É uma perspectiva de mudança tanto na concepção de ensino quanto no papel do professor e do aluno. A sementinha está sendo plantada. Iremos colher os frutos daqui a um ano, um ano e meio”.

Readequação de estradas rurais começa a sair do papel

Foi dado um importante passo na readequação de quatro importantes estradas rurais de Tamarana. Em reunião no Bairro Serraria nesta segunda-feira (15), autoridades envolvidas com a iniciativa detalharam para produtores rurais como o serviço será executado. O encontro foi destinado aos agricultores cujas propriedades estão às margens da estrada que liga a antiga fábrica Pasa até o Assentamento Água da Prata – o popular “Incrão”. Este será o primeiro trecho a receber o trabalho.

Durante a conversa, o engenheiro agrônomo responsável pelos projetos das estradas, Edson Ângelo Mariotto, da Secretaria da Agricultura do Paraná, frisou aos produtores que a readequação terá sucesso apenas se todos assinarem o termo de adesão ao serviço. Afinal, será necessário aumentar a dimensão da estrada em alguns locais – fator que implica na ampliação do uso da faixa de domínio. “Um ou dois agricultores que não queiram concordar vão prejudicar toda a comunidade. Todo mundo tem que aderir ao projeto. Senão ele não sai”, alertou Mariotto.

REUNIÃO ESTRADA RURAL 001

Também presente na reunião, a promotora de justiça de Defesa do Meio Ambiente, Solange Vicentin, parabenizou Tamarana pela iniciativa e pediu aos agricultores que colaborem com o poder público nessa empreitada. “A preservação do solo depende primordialmente do produtor rural. É muito importante conservar a água dentro da propriedade, impedindo que ela invada a estrada. Se não houver adesão [ao projeto de readequação], ou ocorrer alguma desistência, existe a supremacia do interesse público sobre o interesse privado”, lembrou ela.

REUNIÃO ESTRADA RURAL 002

Solange Vicentin: “A preservação do solo depende primordialmente do produtor rural”.

Até o momento, a ampla maioria dos proprietários das áreas rurais do trecho Pasa-Incrão já assinou o termo de adesão. Um deles é o próprio presidente do Sindicato Rural Patronal de Londrina, Narciso Pissinati. “É gratificante o que estamos presenciando. O agricultor só vai ter a ganhar, porque ele não vai investir em nada, só vai concordar com uma melhoria que vem para todos que precisam usar a estrada”, comentou Pissinati.

De acordo com o engenheiro agrônomo Edson Ângelo Mariotto, o projeto da estrada da Pasa ao Incrão estará pronto em até 10 dias. “Sem fazer manutenção, é uma estrada que pode durar cinco anos, mas isso também depende muito da ajuda do produtor”, ressaltou ele. As máquinas que serão utilizadas no trabalho foram entregues na última semana pelo Governo do Paraná ao Consórcio Intermunicipal Caminhos do Tibagi, do qual Tamarana faz parte.

Outras três importantes vias rurais também serão beneficiadas pela readequação: (1) Igrejinha do Rio Preto até Placa da Vaca; (2) Assentamento Cruz de Malta até Placa da Vaca (passando pelo Assentamento Mundo Novo) e (3) da região do Sítio do Mahmud até Placa da Vaca (passando pelo Assentamento Mandassaia).

Conforme o prefeito de Tamarana, Beto Siena, somente o município estima investir até R$ 1 milhão para melhorar as quatro estradas. Beto lembrou que as obras podem trazem certos transtornos para a população, mas os frutos colhidos serão muito mais positivos. “O progresso pode criar transtorno, mas, no fim das contas, todos vão sair ganhando”, afirmou.

REUNIÃO ESTRADA RURAL 003

Segundo o prefeito Beto Siena, o município de Tamarana irá investir até R$ 1 milhão na iniciativa.

Ainda participaram do encontro desta segunda o chefe regional da Secretaria da Agricultura do Paraná, Antonio Carlos Barreto; o coordenador estadual do Programa de Fiscalização de Solos da Adapar, Luiz Renato Barbosa; a coordenadora regional da Emater, Marli Parra; o vice-prefeito de Tamarana, Sérgio Nakata; os secretários municipais de Agricultura (Fernando Macedo), Meio Ambiente (José Carlos dos Santos) e Obras (Antonio Manoel Gonçalves – o Pombo); o presidente da Câmara Municipal de Tamarana, Tega Fabiano; os outros oito vereadores da Casa e demais autoridades.

(Atualizado às 22h19 de 16/05).

Duas UBSs abertas no Dia D de vacinação contra gripe

Passados 23 dias desde o início da campanha de vacinação, 2.763 tamaranenses foram imunizados contra a gripe. Com isso, até agora, a iniciativa já atingiu 63,5% do público-alvo da cidade.

O município também estará mobilizado neste sábado (13) para o Dia D de vacinação contra a doença. As Unidades Básicas de Saúde Plínio Pereira de Araújo, no Centro, e Padre Carmel Bezzina, no Jardim Juny, estarão abertas das 8h às 18h para a aplicação da vacina.

Quem precisa se imunizar:

  • Crianças (de seis meses a menos de cinco anos);
  • Idosos (com 60 anos de idade ou mais);
  • Indígenas (de seis meses de idade em diante);
  • Gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto);
  • Portadores de doenças crônicas não transmissíveis;
  • Professores da rede pública e particular atuantes em sala de aula.
  • Profissionais da área de saúde;

VACINA DENGUE

(Foto: Agência de Notícias do Governo do Paraná)

A campanha segue até 26 de maio. Além da zona urbana, ainda há vacinação na zona rural, nas seguintes unidades, dias e horários:

  • UBS do Assentamento Mandassaia: toda segunda-feira, das 9h às 12h;
  • UBS do Assentamento Água da Prata (Incra): toda terça-feira, das 9h às 15h;
  • UBS do Bairro dos Moreiras: toda quarta-feira, das 9h às 12h;
  • UBS do Bairro Serraria: toda quinta-feira, das 8h30 às 14h.

Para se vacinar, basta levar o cartão do SUS e a carteira de vacinação.

(Atualizado às 16h55 de 11/05).